(62) 3999-0868 contato@saudesindacsego.org.br

Palavra do Presidente

Caros Companheiros Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias:

A comunicação hoje em dia, reflete a necessidade continua para que possamos  interagir com os nossos companheiros de luta,  ACS e ACEs, divulgando  noticias que nos  interessa seja no âmbito Nacional, Estadual e municípios. Isso por acreditar que só o conhecimento nos libertará para lutarmos ainda mais por aquilo que  almejamos alcançar que são os nossos direitos.

 

As novas formas de comunicar largamente utilizadas pela nova sociedade é mais rápida o que amplia o poder da informação, num momento em que os acontecimentos ocorrem ao mesmo tempo  e em todos os lugares, fazendo com que as  lutas reivindicatórias por direitos no âmbito sindical também tome este rumo de processamento acelerado, sob pena de tornamos absoletos  perdendo a evolução da nossa própria história.

 

Só ara se ter uma idéia, neste  momento  estamos correndo um serio risco de perda de direitos que foram  conquistados as duras penas, como a Emenda Constitucional de numero 51, que deu aos ACS e ACEs o direito profissional reconhecido, a lei 12.994/2014 que permite efetivamente um piso Nacional mínimo  pago pelos municípios. Tais direitos  poderão deixar de existir se não estivermos sintonizados o tempo todo na mídia, seja escrita ou virtual como o Watzape que permite a formação de valorosos grupos de comunicação rápida e que vem contribuindo muito no meio interativa dos ACS e ace em todo o Brasil.

 

Podemos afirmar sem medo de erro que os ataques vem ocorrendo a nível nacional Congresso Nacional que aprovou as referidas leis,   sempre um processo quase que repetitivo, de preservação do emprego e de direitos conquistados pelos trabalhadores.

Não podemos, no entanto, desconsiderar vitórias significativas, como a do ano de 2006, quando fomos à capital Federal lutar por mudança na Constituição, que culminou na desprecarização do vínculo de trabalho em todo o nosso Estado e, por que não dizer, em grande parte do país.

A partir do momento em que a classe trabalhadora está disposta a iniciar um processo de luta pelos seus direitos, nenhum administrador público consegue deixar de atender a pauta reivindicatória,

pois a classe furiosa de agentes se lança às ruas em busca de seus direitos.

Hoje, a luta impetrada pelos agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias, organizada no sindicato, deve continuar avançando em todos os aspectos e sentidos. Existem vitórias a ser conquistadas em relação a alguns municípios que, devido ao não reconhecimento dos direitos dos trabalhadores, dificultam a negociação com a categoria, que está desorganizada em seus locais de trabalho, facilitando com que gestores continuem com a política de exploração da força de trabalho barata, impedindo qualquer iniciativa de organização dos trabalhadores.

Como se vê, daqui em diante é fundamental revigorarmos
nossas forças para lutarmos ainda mais pelos nossos direitos. Importante
lembrar que temos pela frente um grande desafio: o reconhecimento
ao direito a um piso salarial de, pelo menos, dois salários mínimos,
que alias, já está na Constituição Federal através da EC 63/2010,
mas que não foi regulamentado até o presente momento. Sabemos,
contudo, que a regulamentação desta Lei – que tanto trará benefícios
para nossa categoria – só virá com muita mobilização, pressão e participação
dos Agentes, nos movimentos de rua e idas à Brasília. Só assim a
Presidente Dilma tomará conhecimento da nossa força. Um forte abraço
a todos e vamos à luta!